Cronograma de gravação de “EPISÓDIOS/PÍLULAS” de informação do GAPZ em 2021

Atualizado: 13 de set.



29/1 – PÍLULA 1 – Boas-vindas a todos! & Perguntas e Respostas mais frequentes dos pacientes que nos procuram – já gravado em 29.01.21 (Dra Jeanne Oiticica & Fonoaudióloga Laura Garcia) (Clique aqui e assista a primeira aula)

  1. 26/2 – PÍLULA 2 – O que pode causar zumbido? (Dra Elaine Miwa Watanabe) (Clique aqui e assista a segunda aula)

Conforme dissemos, o zumbido não é uma doença, mas um sintoma e normalmente tem mais de uma causa na mesma pessoa. Ele pode se manifestar em pessoas que têm:

a) Problemas de coluna,

b) Disfunção da articulação da mandíbula,

c) Doenças cardiovasculares,

d) Diabetes,

e) Estresse,

f) Ansiedade,

g) Depressão,

h) Problemas de audição, que às vezes a pessoa nem percebe no dia a dia,

i) Rolha de cera em alguns casos

j) Infecções nos ouvidos

K) Consumo excessivo de álcool, cigarro, drogas,

l) Alimentação inadequada,

m) Colesterol elevado,

n) Mais de 200 causas já descritas.


  1. 16/04 – PÍLULA 3 – Exercícios físicos melhoram ou pioram o zumbido? (Fisioterapeuta Rosana Seixas)

Sim, na maioria dos casos. É muito difícil ver um indivíduo que faz exercícios físicos 5-7 vezes por semana se queixar de um zumbido moderado, severo ou catastrófico. Mas também é preciso pontuar o outro lado da moeda. Casos específicos em que o zumbido piora momentaneamente durante a atividade física. Nesse caso problemas musculares ou vasculares podem estar implicados. É importante procurar um médico e ou fisioterapeuta que domine o assunto para esclarecer o que acontece e o que pode ser feito caso a caso.

  1. 30/04 – PÍLULA 4 – Sono e Zumbido, qual a relação? (Dra Juliana Anauate)

Higiene do sono. Ver se realmente é o zumbido que causa insônia, ou são outras questões. Fazer experiência com sons agradáveis para dormir. Observar se o pior é pegar no sono ou mantê-lo. É reparador? A quantidade de horas nem sempre é o mais importante. Informar que o corpo, na verdade, não dorme totalmente durante o sono, inclusive parte da circuitaria cerebral. O sistema auditivo monitora continuamente o meio ambiente. Quando a insônia é pontual, chamamos de sintoma, mas quando atinge mais profundamente a vida do indivíduo, então ela se transforma em transtorno do sono. Quem dorme mal tem a atenção comprometida e quem não está atento perde informações importantes no dia a dia. Às vezes o médico tem que entrar com medicação. Se ela não lhe fizer bem, o certo e voltar a falar com o médico e não parar por conta própria. O corpo pode demorar um tempo para se adaptar a determinada medicação.

  1. 28/5 – PÍPULA 5 – A perda de audição pode causar zumbido ou é o zumbido que pode levar a perda auditiva? (Fonoaudióloga Laura Garcia)

Saúde auditiva é coisa séria e prevenir é melhor que remediar. Exposição prolongada a ruídos intensos, e não só no trabalho, mas também no lazer. O uso de fones de ouvido muito alto, e por muito tempo seguido, pode prejudicar a audição. Às vezes podemos ter alguma perda da audição que nem reparamos. Às vezes ela não aparece na chamada audiometria convencional. Por isso existem outros exames que fazemos como a audiometria de altas frequências, as emissões otoacústicas. Mesmo com todos os exames ditos normais, podemos ter uma perda auditiva oculta, ou sinaptopatia (mau funcionamento na comunicação entre células auditivas e neurônios auditivos na hora de propagar a informação de som ao nosso cérebro). Quando as pessoas ao nosso redor reclamam que não estamos escutando bem, isso pode ser um sinal de perda auditiva leve, mas que pode causar zumbido. Muitas pessoas se queixam que ouvem, mas não entendem bem. Nesses casos, família e paciente tem que ser bem orientados, entender a situação de cada um durante a comunicação. Outras pessoas reclamam que ouvem até demais e se irritam com sons que nem são altos e dos quais outras pessoas não mostram desconforto. São as hipersensibilidades auditivas. Também temos os casos de pessoas que não apresentam perda auditiva, mas tem zumbido, mesmo com toda a bateria de testes normais. Existem fatores genéticos que podem predispor as pessoas a perdas auditivas e alguns “gatilhos” que as potencializam.

  1. 25/6 – PÍLULA 6 – Como é a avaliação médica e avaliação fisioterápica do paciente com zumbido? (Dra Jeanne Oiticica & Dra Carina Rocha Bezerra)

Introdução: A informação entre o paciente e a equipe de saúde é muito importante. Depende de todos nós. Quando recebemos uma informação e ela faz sentido para nós, ou seja, a entendemos, então aprendemos novos conceitos. Provavelmente esses novos aprendizados nos trarão novas maneiras de agir, para por em prática o que aprendemos. Por exemplo: quando estamos com pressão alta e entendemos que precisamos diminuir o sal na comida começamos a fazer uma dieta diferente da que fazíamos quando não sabíamos desse fato. Mudar alguns hábitos não é muito fácil, mas é possível e necessário. Na avaliação do paciente com zumbido, o médico faz uma anamnese, uma entrevista, com muitas questões. Examina a garganta, ouvido e nariz, mas também movimentos da cabeça, do pescoço e da mandíbula, entre outros. Importante vocês trazerem seus exames laboratoriais mais atualizados, bem como exames de imagem, como tomografias e ressonância magnéticas. Também é importante trazer uma lista dos remédios que porventura tomem e informar sobre os tratamentos que fazem. Interessa muito para nós entender o que vocês sabem sobre zumbido, quais suas dúvidas e preocupações com relação a ele e o quanto ele o incomoda. Nada é bobagem, tudo é importante. Durante nossa avaliação vocês responderão a vários questionários. Por isso, não esqueçam seus óculos para perto e se tiverem dificuldades no entendimento das perguntas, chamem um de nós, da equipe de profissionais. Mesmo que vocês venham com um acompanhante, a resposta é do paciente, do que ele sente. Isso é muito importante. Quando acabamos a avaliação no primeiro dia que vocês vêm, fazemos uma reunião e discutimos em grupo. Dela saem nossas primeiras orientações, se terão que fazer exames. Perguntem se tiverem dúvidas, pois aí começa nossa parceria.

  1. 30/7 – PÍLULA 7 – O que a ciência sabe atualmente sobre o zumbido? (Dra Jeanne Oiticica)

Noção de redes neuronais cerebrais, conexões entre sistemas, inclusive sistema límbico (emoções) e hiperatividade cerebral.

  1. 20/8 – PÍLULA 8 – Dá para tratar o Zumbido com Osteopatia? (Fisioterapeuta Dr Vinicius Stefanelli)

  1. 24/9 – PÍLULA 9 – Existem exames médicos e de audição que medem o zumbido? (Fonoaudióloga Laura Garcia)

  1. 21/10 – PÍLULA 10 – A arte de tratar o incômodo do zumbido e suas repercussões com medicamentos, será possível? (Dra Jeanne Oiticica)

  1. 26/11 – PÍLULA 11 – Visão integrativa do zumbido (Dra Jeanne Oiticica & Fonoaudióloga Laura Garcia)

Clique aqui para assistir ao vivo as aulas sempre as 10h dos dias marcados

Não esqueça! Antes de cada reunião mensal,

confirme sua presença pelo e-mail gapz@forl.org.br ou pelo tel (11) 3068-9855

0 visualização0 comentário